Tontura, definida como sensação de perturbação do equilíbrio corporal, é um sintoma comum, frequentemente acompanhado de desequilíbrio e quedas recorrentes. Estas quedas podem causar fraturas e consequências ainda mais graves.

A tontura pode ser de caráter giratório (vertigem) ou não (instabilidade, sensação de flutuação, visão borrada, atordoamento etc.) e pode estar associada a outros sintomas, como perda auditiva, zumbido, náuseas e vômitos.

Na maioria das vezes, a tontura origina-se no sistema vestibular, que compreende a orelha interna (labirinto), o nervo cocleovestibular, os núcleos e vias vestibulares e suas inter-relações no sistema nervoso central.

O comprometimento do labirinto também pode ocorrer devido a problemas situados em outras partes do corpo humano. Várias doenças e a multimedicação podem afetar secundariamente o sistema vestibular, gerando tontura e desequilíbrio corporal. Mais raramente, a tontura pode ser de origem puramente visual, neurológica ou psicológica.

Diagnóstico

O diagnóstico é fundamentado na história clínica do paciente e em um conjunto de procedimentos de avaliação do equilíbrio corporal e da audição, conhecido como avaliação otoneurológica. A posturografia estática e dinâmica e a eletronistagmografia ou a videonistagmografia são exames úteis para o diagnóstico dos distúrbios do equilíbrio corporal, no contexto da avaliação.

Os achados otoneurológicos permitem delinear o quadro clínico de cada paciente com tontura e o tratamento.

Tratamento

O tratamento da tontura e sintomas associados, personalizado para cada caso, pode ser essencialmente efetuado por meio de recursos como remoção ou controle da causa (quando identificada) e de fatores agravantes, exercícios de reabilitação do equilíbrio corporal, e medicação antivertiginosa. Há diversos tipos de exercícios de reabilitação que podem ser empregados, de modo repetitivo, na clínica ou na casa do paciente, com e sem supervisão.

Vários são os medicamentos ou combinações de medicamentos que podem atuar favoravelmente na remissão parcial ou total das tonturas e sintomas associados. Em determinados casos, ainda há a possibilidade de recuperação por meio de procedimentos cirúrgicos.

Reavaliações periódicas são necessárias até que o paciente obtenha a cura ou o melhor resultado possível. Na maioria dos casos, o tratamento das tonturas de origem labiríntica proporciona resultados favoráveis, possibilitando o retorno às atividades sociais e profissionais habituais, e a eliminação de eventual dependência de familiares ou outras pessoas.

OTONEUROLOGIA